segunda-feira, 6 de abril de 2015

Afogo-me

Luto desesperadamente
O oceano engole-me
O sal entra-me pela boca invadindo os meus pulmões
Afogo-me
De olhos tristes
Luto para sobreviver
Uma vida de ilusões
Agarro-me
Desejo loucamente essa vida
Que não possuo
Que não é minha
Vida que se afasta
Sorriso de uma lua
Na negra noite da minha existência
Escorrego no azul salgado
Vejo as estrelas
Brilhando
Marcando vidas
Escorrego lentamente
E entro na escuridão.

5 de Abril de 2015

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nobita escreveu: