sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

A Dor

A dor voltou
Insidiosa, fria, decisiva
A dor que nunca foi
A dor do desespero
A dor da tristeza
Que nunca me abandonou
Insana
Sinto a cbeça a explodir
De dor
A dor de uma vida que se estende
Na madrugada dos tempos
Dor imortal
Ácida que corroe
Minhas entranhas, minha alma
Deixando-me inerte

Numa lua árida do desespero
Cinzenta de morte
Que começa a espreitar
Insidiosa
De uma beleza fria
Que me atrai
Ao seu seio
…..
Agacho-me, aninho-me
E descanso

Jimmy, 18 de Fevereiro de 2010

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nobita escreveu: