quarta-feira, 16 de abril de 2014

Sem título

Barulho
Música, o raio do Jimi Hendrix
Barulho de rodados
E não sai nada, vazio de ideias
Cheias de emoções
Sentimentos a voarem
Gaivotas a voarem, grasnando
Gritando e bulhando
Pedaço de peixe infecto
Morto na agonia, as dores afogando
Num vómito, num estertor
Num último sorriso
Num último olhar
Os rodados não páram
A música não pára
Gritam palavras com harmonia
Harmonia de vida, de morte, de sofrimento
Morto por outros sucumbe
Suspira e renasce
Amanhã é outro dia

16 de Abril, 2014

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nobita escreveu: