quinta-feira, 15 de abril de 2010

Sons de uma alma

Murmúrios isolados
ondas de paixão
roucos sons exalam
tremendo ao som do pensamento
evoco uma vida passada.

dói-me a cabeça
estou tonto
sinto-me cansado
palavras soltas ecoam no cérebro
imagens dançam a valsa
da morte que se aproxima
agora e depois

derrotado sonho
eterno descanso

vento que sopra
agreste
incisivo
despido de cor
ausente de amor
destruindo o brilho mortiço
estrela que se apagou.

Jimmy, 15 de Abril de 2010

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nobita escreveu: