quinta-feira, 11 de junho de 2009

Só ...

Um pequeno quarto, cama coberta de roupa desalinhada e almofada toda amachucada, apenas uma pequena mesa-de-cabeceira com alguns artigo por lá atirados.
Estava escuro e eu, sentado, olhava para a janela vendo a escuridão a passar perante os meus olhos, sentia um aperto enorme, sentia a dor da solidão.
Sonhava que me afogava, braços estendidos em direcção á superfície, tábuas a que me agarrava mas que não me impediam de me afogar na maior das solidões.
E o tempo passava, horas, dias, meses e nada conseguia atenuar a dor.
Sinto-me cada vez mais só
Sei que morrerei um dia. Se calhar a dor morrerá aí, se calhar terei o sossego que mereço.
Sentado na cama suspiro e lembro-me, gemo de saudade a solidão volta a avassalar, tremenda e crua….
Suspiro e deito-me, fecho o s olhos e ela olha para mim, fazendo-me sentir só.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nobita escreveu: