sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Num piscar de olhos


num piscar de olhos
um dia que morre
a noite que me cobre
fria e acolhedora
um sorriso de dedos gélidos
aperta minha alma
num piscar de olhos
tudo se desvanece
a morte e o sonho
resta a solidão
resto eu
e um dia que apenas morre

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nobita escreveu: