quarta-feira, 1 de abril de 2015

Simplesmente viver

Fogo líquido que me percorre as veias
Correm-me por dentro, enlouquece-me
Arfo, aspiro o ar sofregamente
E o tempo não se mexe
E a vida não acontece
Loucura, desejo, ânsia
Coração batendo ao ritmo da música
Que oiço
Que escuto
Que devoro loucamente
Quero gritar
Quero amar
E a vida foge
E a vida não acontece
Grito esmagado no peito
Inerte
Apenas um murmúrio ao vento
Perdendo-se
Na tempestadade do meu espírito
Nas vagas cinzentas da solidão
Noites escuras olhando as estrelas
Todas brilhantes, todas longe
Inacessíveis, intocáveis
Sentado
Ouvindo a loucura
Esboço um esgar de sorriso
Amanhã será outro dia
Um dia serei sol


1 de Abril de 2015
(e não é mentira)

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nobita escreveu: