terça-feira, 14 de abril de 2015

As Pontes

As Pontes de Madison são um conto,
eu gosto de contos
Não estou em Madison
Nunca estarei em Madison
Nunca farei um conto
Resta-me a ponte
Olho para o azul das águas
Que correm, livres
Tristes
Debaixo da ponte
Olho, oiço música
E o azul passa pela minha alma
Triste, melancólico
Vida a correr, azul
Desaguando no nada
Amanhã cor de cinza
Chegando ao negro
Da escuridão
Alma negra
De dor


11 de Abril de 2015
  

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nobita escreveu: