terça-feira, 11 de novembro de 2014

O velho lobo

Coxeando nas veredas da floresta
Velho lobo de pelo ralo e baço
Olhar brilhante e olhar mortiço
Procura vida e brilho na giesta

Vê a lua, vê o sol
Uiva de dor, uiva de paixão
Deita-se e sofre
Sem futuro
Só o presente, amargo
Os sorrisos que encantam
As corças que fogem
Velho lobo sentado, cansado
Sonha, sonha apenas
Uma dor
Uma paixão

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nobita escreveu: