sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

O Desejo

Estou louco
Á beira do abismo
Onde fiz o meu ninho, o meu mundo
Minhas asas carcomidas e gastas
Penduradas ao vento
Olho e vejo
De perder de vista
Planície dourada pelo sol poente
Assim como a minha vida
Anoitece
E salto
Grito pungente de desafio e medo
Asas abertas controlando o voo
Olhos em riste para a presa
Mergulho
Chocando com ela que nunca lá esteve
E que sempre me esperou
Dura e negra
Fria como as brumas
Uma explosão negra de dor
Toda uma vida percorrendo o meu espírito
Num segundo
Numa vida
Numa eternidade
Onde flutuo
No nada
Sem nada

Sentindo as lágrimas escorrendo
Rios de lava
Queimando meu espírito
Enfim livre

Jimmy, 19 de Fevereiro de 2010

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nobita escreveu: